História

O seu nome parece provir do vocábulo de origem árabe Al-garia, que significa a aldeia, um pequeno povoado.

No entanto, não significa que tenha sido fundada pelos Mouros, uma vez que a região não foi habitada por muito tempo por eles nem deles resta o menor vestígio. O termo Alcarial pode também significar um sítio onde apareceram ruínas muitíssimo antigas ou vestígios arqueológicos, o que parece justificar-se.



Podemos pois concluir pelos vestígios arqueológicos encontrados que esta freguesia já foi habitada nos tempos pré-romanos e romanos, provavelmente no Sítio do Covão.

Todavia a actual Alcaria não pode reivindicar a sua fundação nesses tempos; será antes um produto do repovoamento operado nos primórdios da Monarquia, aí pelo segundo quartel do século XII, na sequência do desenvolvimento da Covilhã, a cujo termo pertenceu até 1747, passando desde então a pertencer ao concelho do Fundão. Nos censos de 1758, era constituída por 86 fogos e 293 habitantes, não tendo ainda lugares nem anexas. Em 1895, passou a fazer parte da freguesia o Pesinho, sendo actualmente constituída ainda pelos lugares denominados Espanadeira, Cruzamento ou Cruzal, Souto Alto, e Fadagosa. Em 1991, segundo os censos realizados então era constituída já por 630 alojamentos, cerca de 500 fogos e 1255 habitantes (do livro O Concelho do Fundão Através das Memórias Paroquiais de 1758 de Dr. Joaquim Candeias da Silva).

Quer saber mais sobre a nossa terra?

CONSULTE OS DADOS EM BAIXO